Pacientes com câncer criam redes de apoio ao dividir histórias de superação na internet

RIO – A advogada Juliana Giachini descobriu aos 22 anos que tinha um Linfoma de Hodgkin, um câncer raro. O impacto dda notícia foi tão devastador, que a menina de sorriso largo se viu em uma tristeza sem fim.

– Não cheguei a entrar em depressão, mais quase entrei. Eu não me sentia bem e não fazia força para me sentir nem um pouco melhor. Eu tinha bastante reação da quimioterapia, passava muito mal mesmo. E quando eu não estava passando mal, me martirizava por quando tinha passado mal. Foi muito difícil – contou a jovem.

Dois anos depois do fim do tratamento, Juliana voltou a sentir dores. Fez três cirurgias exploratórias para descobrir o que tinha. Rezou para que um diagnóstico chegasse logo. E ele veio: um novo câncer. Semana passada ela realizou a última sessão de quimioterapia. Agora, aguarda exames para dar continuidade ao tratamento. Apesar do retorno da doença, a paranaense decidiu que o tratamento seria diferente. Dessa vez, ela iria “sorrir mais”.

Juliana resolveu ‘sorrir mais’ e compartilhar sua história com outras pessoas – Reprodução/Instagram

– Eu não escolhi ter câncer, mas escolhi ter bom humor para lidar com isso. Minha vida melhorou 100% depois que eu comecei a ver a luta com um sorriso no rosto, depois que eu decidi sorrir mais. Ganhei mais qualidade de vida – disse.

A mudança de Juliana inspirou também outras pessoas. Ao publicar fotos suas e falar sobre o tratamento da doença, ela teve um retorno positivo. Foi aí que resolveu dar o pontapé inicial no ‘Careca da Ju‘, um blog onde relata sua luta contra o câncer.

– Comecei a postar algumas fotos, falar das dificuldades e vi que algumas pessoas gostavam de acompanhar e davam força. Foi aí que resolvi criar o blog. Tem quase um mês, mas está dando certo! Meu desejo principal é ajudar a incentivar quem está passando por isso e mostrar para não desistir. Eu estava desistindo no meu primeiro câncer. Até levantar minha autoestima. Fiz até ensaios de fotos já careca e as pessoas adoraram! Viram que podem fazer também. Hoje, recebo mensagens de outras pessoas que passam pela mesma coisa ou por batalhas maiores que as minhas e que também escolheram sorrir nessa luta. Eles me motivam e eu os motivo também – disse.


Página compartilha histórias de pacientes

Juliana é uma das pessoas que resolveu compartilhar sua história de vida na página ‘Amigos da Quimio‘, no Instagram. Criada por Ivo Oliveira, de 22 anos, a página mostra fotos de pacientes em quimioterapia e o relato deles de como enfrentam a doença. Ivo não tem câncer. A página foi inspirada na história da sobrinha dele, de 7 anos, que há um ano e meio foi diagnosticada com leucemia. Para ajudá-la a enfrentar o tratamento, ele também raspou a cabeça. Para ele, a troca nas redes sociais ajuda os pacientes e familiares a não desistir e a acreditar.

Ivo com a sobrinha quando revelou que havia ficado careca – Reprodução/Video

– No início eu criei a página para ajudar pessoas que estavam passando pelo processo de quimio. Eu quis contar a história delas porque as páginas que falavam sobre câncer, não falavam sobre como era o processo da quimio. Eu quis contar a história das pessoas, mostrar como elas venceram, como lutaram. Minha sobrinha luta contra a leucemia. Fiquei careca porque ela um dia perguntou se iriam gostar dela quando não tivesse cabelo. Resolvi raspar a cabeça e falei “se não gostarem de você, também não vão gostar de mim”. Nunca me esqueço da felicidade e das palavras dela para mim. Poder ver e compartilhar essas histórias de superação também é uma fonte de inspiração para que eu possa ajudá-la – falou.

A página conta com mais de 9.500 seguidores em três meses. Durante o dia, Ivo publica as fotos e histórias que recebe por mensagem privada.

– Recebo as fotos e histórias por direct e publico. Outro dia postei no stories a pergunta ‘Como a página ajuda você?’ e as respostas foram várias. Muita gente disse que ver como outros lidam com o diagnóstico e as partes mais difíceis do tratamento ajudam a continuar a luta. Tem várias histórias emocionantes, até de crianças. Uma delas postou um antes e depois da quimio. É genial ver que uma criança tem forças para lidar com isso. E, para mim, é uma lição de vida diária. Dou espaço para eles e eles me ensinam muito – falou.

Via O Globo